sexta-feira, 29 de julho de 2011

ATENÇÃO MEMBROS

REUNIÃO AMANHÃ, SÁBADO, DIA 30 DE JUNHO. 08h no AB.  SUA PRESENÇA É VITAL. SUA AUSENCIA SERÁ NOTADA, LAMENTADA E ANOTADA.

HENRIQUE GOMES.

domingo, 17 de julho de 2011

GAIA E OS QUATRO ELEMENTOS

Como todos sabem o GEMA também utiliza as linguagens da Arte para promever reflexões acerca das ações humanas ante ao meio ambiente. GAIA apresentado em 2009 foi o 1º trabalho neste sentido. Até hoje não temos condições de repetí-lo em virtude de sua grandeza e complexidade. Em 2010 apresentamos a esquete Acerte o Cesto: a Intervenção. Um pouco mais simples, mas uma mensagem muito rica e bonita. Neste ano de 2011 o GEMA organizou mais uma apresenção que abriu as atividades da II Consciência, que é a nossa feira de ciências, ocorrida no início de junho. Intitulada Gaia e os quatro elementos a esquete mostra de uma forma simbólica e plasticamente bela como devemos ter zelo e respeito pelos elementos que fazem a vida se perpetuar. Veja nas imagens abaixo a beleza da apresentação. 
 (Preparação: Glayciany pintando)
 (Preparação:Professor Henrique Gomes preparando as tochas aromáticas))
 (Chantal e Ianik)
 (Suzanira)
 (Joyce)
 (Eis o quadro construído)

 (Wesley, Alessandro e Adson)



  

sábado, 16 de julho de 2011

PRAÇA DOS MÁRTIRES

Um espaço que deve ser objeto de estudo do Projeto Paisagens e visões é a Praça dos Mártires (Passeio Público), pelo fato de ser uma das primeiras praças de Fortaleza e também do centro da cidade. Por ter sido construída no século XIX, ela conta muito da história de Fortaleza e também mostra vários aspectos diferentes que a cidade viveu, como as grandes ostentações ou sua subutilização, podendo também ser mostrada as várias relações que as pessoas tiveram com esse espaço, pois a praça, já foi segregadora e também um espaço rico em eventos históricos sem contar que hoje ela é frenquentada diariamente, tanto por pessoas que tem uma relação de indentidade com aquele espaço(pessoas que descansam ou pessoas trabalham por lá) quanto pessoas que não tem tanta relação(visitantes , ou pessoas que perpassam o local), o que torna também um interessante espaço para observação do conhecimento histórico que as pessoas tem sobre aquele espaço.

Erberson Rodrigues.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

O OLHO QUE OBSERVA

Em 2009 por ocasião da I GEMARTE, sugerimos vários temas para que fossem transformados em textos e/ou em alguma arte visual. Eis uma contribuição recebida. Encontramos hoje. Estava guardada no limbo do cyber espaço.

“O olho que observa o mundo, vê o que?”
Vê uma comunidade de um bairro periférico, poluindo seu vizinho córrego, enquanto assiste uma das infinitas novelas em exibição.
Vê a câmara municipal aprovar leis que permitem destruir as matas ciliares e belas dunas, permitindo diversos crimes ambientais.
Vê a assembléia estadual votar projetos de leis que permitem a destruição do ínfimo restante da mata atlântica.
Vê um Congresso omisso e despreparado em relação à avassaladora destruição do maior bioma do planeta, a Amazônia.
Vê uma reunião de líderes mundiais fracassar na tentativa de um início de recuo do aquecimento global, (Efeito Estufa).
Vê o futuro de planeta dramático e assustador; enquanto às bolsas operam em alta.
Uchôa, Augusto Cavalcante.
Professor de Matemática.
Escola Adauto Bezerra.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

PERCEPÇÃO AMBIENTAL:Um olhar sobre a Parangaba

A Secretaria de Educação do Estado do Ceará-SEDUC, promoverá no segundo semestre de 2011 a I Mostra de Educação Ambiental das Escolas Públicas Estaduais. Foram selecionados trabalhos nas modalidades Científica e artístico-culturais. Em Fortaleza, de todas as escolas a SEFOR selecionou 06 trabalhos na modalidade científica. Dentre esses 06 está um projeto de pesquisa desenvolvido pelo GEMA. Entitulado Percepção Ambiental, um olhar sobre a Parangaba. Durante todo o mês de julho membros do grupo estão em campo colhendo dados e fazendo o devido tratamento das informação coletadas. Importante dizer que também fomos selecionados com um trabalho na categoria artístico-cultural. Trata-se de uma esquete teatral com 10 minutos de duração e dividida em quatro atos. Esta esquete já fora apresentada duas vezes na escola e uma vez no bairro Granja Portugal.

ALGUNS REGISTROS: 12 DE JULHO DE 2011
(08H DÃ MANHÃ, NA BARRACA DA DONA LENA E SR. NARCÉLIO, REPASSANDO O INSTRUMENTAL DE PESQUISA E TOMANDO CAFÉ COM TAPIOCA) 
(ENTREVISTA COM O SR. RICARDO ( BARÃO), MORADOR DA PARANGABA)
ATÉ QUANDO VÃO RESISTIR???
O texto abaixo é de Érick Sousa, membro de grupo. Leia por gentileza.


Um Olhar Sobre a Parangaba

O bairro traz consigo uma visão cansada, deteriorada, sem segurança, sem preservação; essas são características eminentes na primeira visão de um “observador quase que voluntário” como eu, o grupo acanhado mas, com uma ideia foi ao bairro para espremer o quanto os dali eram ligados ao meio retirando assim mais do que nossa visão tão ainda inicial mas já tão audaciosa podia nos dar.
Pré-teste

Como podemos observar o sistema é mesmo ‘foda’ digo isso em todos os sentidos ele pode tanto transformar e eleger os seus e derrubar os outros de acordo com o seu gosto, ele é tão incrivelmente perspicaz, como exemplos podemos usar o próprio objeto de estudo a Parangaba que passa por um reboliço e transformação tão repentinamente mas já ha anos especulada; o metro que corta o bairro, transita entre o terminal de ônibus e a praça central da Parangaba. Benefícios sim, com certeza tem, aumento de pessoas transitando pelos derredores das linhas, comerciantes lucrando, empresários lucrando com uma passagem a mais, por que classe média não anda de ônibus, classe média não pegava Paranjana I e II, claro mais isso não é o malefício, é só uma divisão de classe sempre existiu, o que assusta ou deveria assustar os moradores é modo brutal e inconsequente que ‘eles’ vão agir sobre o meio do bairro e muitos dos moradores estão engessados com as consequências e é ai que entra o ‘querido sistema’ que usa de uma ferramenta que também é sim, muito ‘Foda’ a Publicidade e Propaganda, mais conhecida como mídia que passa pro moradores e a cidade e os ‘benefícios’ que vão ter em uma construção de shopping e o metro e o pior os moradores compraram a ideia de lucro e beneficio. Boa sorte
“Banhado em chuva em busca do prazer cognitivo e aumentar a velocidade do meu coito cultural”.
Este outro é de Erberson Rodrigures, também membro do grupo.
A aplicação de questionários e as observações feitas hoje no bairro da Parangaba, me ajudou a perceber um pouco o que se passa na mente de um morador deste bairro. Vivendo ou não no centro histórico do local, percebemos que ele passa por um momento pobre em lazer, cultura e segurança. O que torna empreendimentos de grande porte (E diga-se também de utilidade duvidosa) como um local que possa trazer mais vida aquele espaço, de fato traz alguns pontos positivos nos aspectos culturais e de segurança, mas, não irá trazer de fato um rejuvenescimento ao bairro e muito menos trará qualidade de vida aos seus moradores. mas para essas pessoas esses empreendimentos são as soluções imediatas para resolver um problema que já vem acontecendo no bairro e que só se intensifica com o descaso do poder público.
Segurança
A falta de segurança é algo na Parangaba que no meu ponto de vista já está aceito pela população, é assustador você está numa mesa se alimentando e nela está duas pessoas falando sobre os produtos de furtos passados ,e pior ainda, ele se comunicar com as pessoas e todas elas ignorarem o assunto ou pelo reconhecerem as ações dessas pessoas e não se aterrorizarem com isso. O aspecto de abandono em algumas partes do bairro evidência ainda mais o medo que as pessoas tem de passar pelos locais do bairro, já que o lixo e a sujeira que ficam na rua dá um tom de perigo para quem transita. A falta de segurança ajuda o abandono do bairro, já que as populações não costumam procurar os locais que transmitem essa ideia de insegurança.
Questionários
Observo ainda um pouco de despreparo de mim e de meus colegas, mas acredito que com as novas idas a Parangaba e aos outros espaço a tendência é que melhore a abordagem e a vergonha vá diminuindo, já que são vivencias novas que estamos tendo.




domingo, 3 de julho de 2011

Pensamentos

Para o GEMA, quando um indivíduo reflete sobre a vida e produz conhecimentos que fazem outros indivíduos ter a mesma atitude, se está cuidando do meio ambiente. O ambiente começa em cada um de nós.

Divulgamos escritos produzidos por Evilane, irmã de Evelyne uma integrante muito engajada do GEMA. Os textos são muito bons e ambientais.

CERTEZAS E INCERTEZAS


Olho a fotografia, ela faz com que eu me lembre da vida, não sei por que. Acho que é loucura. Realmente não sei. O que aconteceu comigo? Mudei tanto em tão pouco tempo. Preciso cuidar de mim. Importar-me com minha vida, e não levar a sério quando dizem, por exemplo, que não sou capaz. Até por que já estou até acostumada. Meu futuro depende só de mim. Não vou mudar meus pensamentos, mas rever minhas atitudes. Você vai perceber. Tenho certeza.

VERDADE


Tenho que criar um plano, que me faça ir mais além. Estou cheia dos meus amigos loucos que me levam a pensamentos infinitos. Eu posso precisar de uma chance. A hora é agora. O momento é esse. Não quero mais mentir pra você. Acredite em mim. Acredite no meu plano, e não me faça fazer tudo de novo. Estou cheia das histórias que me contam. Agora eu quero seu eu. Não quero mais afundar. Preciso de uma chance, não quero voltar de novo. Quero acreditar, ser e fazer a VERDADE.

Existem mais. Depois publicamos.
Ocorreu um erro neste gadget