terça-feira, 22 de março de 2016

Hoje “comemora-se” o Dia Mundial da água. Mas e ai? O que isso significa?


Existem coisas na vida que são certas de acontecerem, uma delas é o seguinte fato: no seu sexto ano do ensino fundamental e no primeiro do ensino médio, seu professor de geografia, ciências, química ou até mesmo de outra matéria, já te perguntou a importância da água para o planeta e em que usamos ela no dia a dia. Então, as respostas que você e seus colegas deram, foram as mais corretas possíveis, até por que não há muito o que errar: beber, tomar banho, fazer comida e por aí vai. Nessa mesma aula, seu professor ou professora pode ter perguntado ainda onde podemos encontrar água e você sabiamente também já sabia: nos mares, nos rios, na geladeira, no ar. E aí vocês também falaram sobre como é importante não usar agua de forma desordenada pois a água é um recurso que um dia, não muito distante, pode se esgotar.

Mas aí eu pergunto: mesmo sabendo de tudo isso e da importância desse componente para o planeta todo, por que a água ainda é um problema tão grande quando se fala em desperdício? Por que tantas cidades brasileiras (sem se falar em âmbito mundial) sofrem com problemas de abastecimento e nessas mesmas cidades, existem pessoas desperdiçam água nas atitudes mais simples do dia a dia? A lição da sala de aula não serviu? A importância que nós citamos à água na sala de aula não é verdadeira? Quando ela será importante? 

Ainda somos o povo que muito fala, que muito compartilha imagens, vídeos e textos (como este) nas redes sociais e pouco faz, pouco põe em prática. Se não pomos em prática, para que a comemoração nas redes sócias? Pensemos. 

Evelyne Lima
Membro do G.E.M.A
Graduanda em Geografia UFC

domingo, 20 de março de 2016

Brasil 2016 - Aos professores e professoras.

13 de março protestos e mais “protestos”; um lado em prol do governo e outro querendo a sua queda; sede da União Nacional dos Estudantes (UNE) sendo atacada; um sindicato sendo invadido, sim invadido, por policiais, a mídia tomando posição, principalmente uma emissora em particular cujo a denominação não vale apena ser mencionada. Lembra-te de algum fato na História recente já ocorrido em nosso país? Lembra de 1964 onde a sede da UNE foi também atacada e onde sindicatos foram invadidos, a mesma mídia tomando a mesma posição, enfim.

O mundo gira tudo acontece e a história quer se repedir. Me pergunto: será que nas escolas e nas universidades esses assuntos estão sendo discutidos? Vejo Meninos e meninas de 14 15 anos defendendo a ditadura militar, praticando a homofobia, machismo, racismo e outras mazelas da sociedade, esses mesmos crias do século XXI, onde o misto de informações está ai com um simples “click” abre-se as portas do “conhecimento”.

E a figura do professor? Cadê? Onde estão? Quem são? Estão formando professores na academia? E os que estão em serviço, cadê? Será que estamos preparados para esse novo perfil de aluno, que questionam cada palavra que dizemos. “professor o deputado A ou B disse algo ao contrário de você” ou “ professor eu vi no Google...”

Enfim, “ o mundo é uma coisa, e nós estamos dentro dessa coisa” não da pra dar aula sem falar da realidade, não podemos calar os estudantes, temos que ouvir e ensiná-los de um modo holístico, vamos ficar atentos as mudanças desse perfil dos alunos (crias do Século XXI)  da educação básica.
E a  academia, berço do conhecimento, graduandos (as) mestres e doutores estão acompanhado a mudança ou ainda estão na mesma de publicar e (re) publicar, pra encher seu lattes? Futuro professor, na sala de aula seu lattes e nada são a mesma coisa.

Diego Costa
Membro do GEMA

Graduando em Geografia - UECE

segunda-feira, 7 de março de 2016

O ser mulher!

O que é ser mulher é ser frágil, depender de outro ser por não ter capacidade teoricamente para nada! Pode soar forte, mas, ainda há tantos que pensam que mulher não serve para nada além de dar
cria e cuidar da casa, nada contra as mulheres que fazem somente isso se as deixarem realizadas não vejo problema. 

Mas para aqueles que pensam pejorativamente que mulher é algo sem importância que não consegue nada mais do que já aqui foi citado, sinto lhe decepcionar, pois, nós, e eu digo “nós” por que é uma mulher que vos fala neste momento, pode muito e sempre pode fazer o que ela quisesse seja o que for, somos fortes nada frágil e quando nos desmanchamos em prantos é porque o golpe acumulado bateu a ultima vez mais forte.

 O ser mulher é ser mulher é conseguir sair de um relacionamento abusivo com a cabeça erguida, o ser mulher é ter a coragem de se expor logo após de um assedio seja ele qual for, o ser mulher é conseguir ir em frente e com louvor tendo que cuidar e sustentar sozinha suas crias, o ser mulher é compreender que é bom ter companhia, mas que não dependemos exclusivamente de alguém para alcançar nossos objetivos, que somos fortes, trabalhadoras, independentes, mulher! Mãe! Filha! Tias! Avós! E unidas! Pela força que nos segue desde a primeira respiração, por isso minhas irmãs, lhe falo com certa intimidade, pois é assim que vejo todas as mulheres, se ainda não sabe destas qualidades que não são todas nem mesmo um terço delas, tente se lembrar nesta data de 8  de março, como você é alguém importante e passe a lembrar todos os dias pelo resto de sua vida e verá que nossa força reside em você, e que nós mulheres  somos mais que sexo frágil.

Gislane Santos
Membro do G.E.M.A
Graduanda em Geografia UFC
Ocorreu um erro neste gadget