domingo, 16 de novembro de 2014

7º Chamado do GEMA

Por Lucas de Paula*
Resistindo há mais de 6 anos, o GEMA fez no dia 1 de novembro seu 7º chamado para novos membros. Com um número de membros internos bem menor do que possuía nos seus primeiros anos – atualmente 6 –, o grupo procura agora novos integrantes para que possa sobreviver ao ano de 2015, visto que 3 dos 6 atuais sairão da escola. A reunião de 'iniciação' foi feita de uma forma jamais vista antes no grupo, com um tom meio sombrio, o que combinou com a data de Halloween que antecedeu o dia da Reunião de Chamado. Antes de entrar na sala todas as pessoas foram vendadas e logo em seguida guiadas em forma de trenzinho, passando pela Trilha das Sensações.




A trilha das sensações funcionava da seguinte maneira: os novatos eram introduzidos a um caminho com diversos tipos de coisas pelo chão, as quais através dos pés iam sentindo e descobrindo o que eram. A primeira delas eram folhas secas. Em seguida havia pedras e logo depois areia. Depois, alguns colares enroscados e por último, uma panela de barro com água.


Enquanto eles passavam pela trilha e sentiam tudo com os pés, nós passávamos velas acesas em seus corpos, ativando a sensibilidade não só nos pés, mas no resto do corpo também. Após terminarem a trilha, falamos ao ouvido deles que deitassem no chão. Tudo isso enquanto músicas bastante tranquilas tocavam no ambiente. Após eles se deitarem, em cada um passamos as velas pelo corpo e colocamos as pedrinhas – que antes estavam no chão – em suas mãos. Fechamos lentamente as mãos deles para que sentissem bem as pedras. Todas essas coisas acompanhadas de uma massagem bem relaxante e um banho de água em seus pés e mãos.


No meio da cerimônia ousei um pouco e decidi por dizer algumas palavras. “Isso, sintam a sensação... Relaxem. Sintam tudo. Tá gostoso né?!” Logo em seguida percebi o quão engraçado e ambíguo pareceu a última frase, fazendo com que eu segurasse o riso e torcesse para que mais ninguém percebesse a minha gafe. Àquela altura me perguntei se os novos membros não estavam com medo. Eu estaria. Deviam estar pensando se aquilo era algum tipo de seita satânica. Ou se em dado momento sofreriam algum abuso... Afinal, que tipo de grupo manda os membros RECÉM CHEGADOS ficarem vendados no escuro e se deitarem? Eu teria medo. Certa hora me vi massageando alguns pés que descobri estarem imundos. Devíamos ter imaginado que isso seria o resultado da mistura de água e terra espalhadas pelo chão sujo da sala de vídeo. Combinação perfeita. Depois de um bom tempo mandamos os novatos se sentarem, ainda vendados, e começamos a bater fotos com eles, ainda no escuro, sem que eles soubessem.



Ao tirarem as vendas, uma das novatas estava chorando. E eu fiquei feliz por isso. Essa era realmente a intenção. Fazer com que aquelas novas pessoas que estavam aderindo o grupo sentissem tudo, por mais que essas sensações acabassem sendo postas para fora através de lágrimas. Queríamos que elas sentissem todas as emoções. Que aquela música relaxante, a areia, a água, o fogo, as pedras e a massagem realmente ativassem suas sensibilidades e as fizessem remontar ao seu passado, ou até mesmo ao presente. Embora possa doer, temos que encarar nossas dores de frente. Só assim podemos nos livrar delas e enfim seguir. É doloroso, eu sei. Mas depois que você se livra tudo fica mais fácil, mais leve. Mayla, membro que atualmente faz faculdade no IFCE, abraçou e consolou a novata que estava chorando.


Uma roda de debate se iniciou, ainda no escuro, e membros que já saíram da escola, membros internos atuais e membros novatos se misturaram numa inspiradora conversa, onde pôde ser dividido experiências e vivências. Embora épocas bastante diferentes, todas muito parecidas quando se tratava de ser GEMA. Enquanto nós falávamos sobre o que já tínhamos passado com o grupo, os novatos falavam o que tinham achado da reunião e o que esperavam encontrar ali.




“Ela é doida [...] Ele também é doido [...] Vocês são todos loucos!” Foi o que disse uma das novatas após passar 30 minutos com a gente. Imagino o que ela vai estar dizendo daqui há um ano caso continue no grupo. Ou vai ficar louca como a gente ou então eu não sei. Parece que ter um parafuso a menos é pré-requisito pra fazer parte do GEMA, apesar de não existir exigência alguma para entrar no grupo.

Ao final da reunião foi feita a apresentação artística de Time of My Life, dança clássica de Ritmo Quente, e isso aqueceu a todos, terminando a reunião em ritmo de festa com todos dançando das maneiras mais esquisitas possíveis pela sala. E eu digo esquisitas não num sentido pejorativo. Ser esquisito é ótimo. É não se importar. Ninguém se importava se o outro estava dançando da pior maneira do mundo, afinal, ele também estava. Todos só queriam se divertir. Acredito que depois daquela reunião, os novatos puderam perceber o que significa fazer parte deste grupo. E acho que serviu até para nós mesmos, membros veteranos, nos lembrarmos.

* Lucas de Paula
Estudante do 2º ano do Ensino Médio
Atual Presidente do Grêmio Estudantil do colégio Adauto Bezerra
Membro efetivo do GEMA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget